domingo, 13 de setembro de 2015

queria que você estivesse aqui


Don't be sad, I know you will 
But don't give up until 
True love will find you in the end 
This is a promise with a catch 
Only if you're looking, can it find you 
'Cause true love is searching too
(trecho de 'True love will find you in the end', de Daniel Johnston, citado no livro)


E mais um dia com temperatura baixa. Estou feliz com esta súbita frente fria no fim do inverno que nunca chegou. 

Aproveitei para entrar ainda mais no clima com 'Queria que você estivesse aqui', do espanhol Francesc Miralles. O título é uma homenagem à música de Pink Floyd. Assim como os outros dois livros desse autor que li ('Amor em minúscula' e 'O melhor lugar do mundo é aqui'), traz inverno, pessoas sozinhas, animais de estimação, muitas referências literárias e musicais. 

Aqui, além da canção da banda norte-americana, o fio condutor é a história de 'O jardim secreto', de Frances Hodgson Burnett, obra infanto-juvenil de 1911, no qual uma orfã vai para a casa do tio e lá se encanta por um jardim proibido. Também é o que acontece com Daniel, o nosso narrador protagonista. Na noite em que comemora seus trinta anos, leva um fora da namorada e ganha um CD de uma amiga. Desnorteado com o fim do relacionamento de sete anos, tranca-se em casa e ouve o álbum que ganhou, da canadense Eva Winter (olhe o inverno aí de novo). Espantado, percebe que as letras narram sua própria vida. Inclusive seu desejo de ir para a Islândia (e o meu).

O Natal está chegando e na falta de algo melhor para fazer, arruma as malas e parte de Barcelona para Paris atrás da enigmática cantora que parece ter vivido as mesmas experiências que ele. Há um show marcado para os próximos dias na capital francesa e ele não resiste ao desejo de bater um papo com Eva e descobrir por que ambos têm tanto em comum.

Mas no meio de tudo isso, encontra o tal livro do jardim e passa a trocar mensagens com alguém que se faz passar pela personagem Mary, a orfã que já comentei. Infelizmente, eu já sabia o que estava por trás dessa fantasia. Tudo muito óbvio. Contudo, não deixa de ser uma leitura aconchegante. Justamente o que procurava para ler sob as cobertas.

"Quando tudo perde o sentido para alguém, só lhe restam duas alternativas: se aniquilar ou aniquilar o mundo que o cercou até então, dinamitar seu velho lar para procurar um novo."

Nenhum comentário:

Postar um comentário