segunda-feira, 30 de setembro de 2013

can you keep a secret?


E quando você vai procurar um livro na estante e descobre que o emprestou e a pessoa nunca mais o devolveu. O que fazer? Pois este foi o destino do meu chick-lit querido ‘Can you keep a secret?’, de Sophie Kinsella. Lembrei dele hoje quando me pediram sugestões de livros engraçados.

Se tiverem interesse, é uma historinha boba, mas que vale a pena e que ajuda a preencher o tempo que gastaríamos pensando em problemas que merecem ser esquecidos. Fala de uma garota que morre de medo de avião, mas tem que driblar o pânico para uma viagem de negócios. Eis que ocorre uma turbulência e ela está convencida que vai morrer, por isso, resolve contar todos os seus segredos ao homem que está ao seu lado. Fala tudo sem pensar: suas frustrações profissionais, problemas que tem no trabalho, como burla algumas regras por lá, como finge ser a executiva de Marketing que não é, como não tem nem ideia do que fez na reunião que participou. Despeja ainda alguns segredos mais pessoais, como a dúvida se tem ou não o tal ponto G, que gosta de usar calcinha fio-dental para não marcar – apesar de ser super desconfortável – e  como lê as últimas páginas dos livros para dizer que os leu.

Tudo não teria importância se o avião tivesse caído. Ou se, pelo menos, eles tivessem se despedido com um simples olhar envergonhado e um “até nunca mais” bem explícito. Mas não. O cara é simplesmente o chefão da empresa em que trabalha. Rá! Como encarar isso? Acho que o enredo é mais ou menos por aí. Faz quase dez anos que o li. Recordo que foi numa tacada só, enquanto esperava a tinta no meu cabelo fazer efeito. No Brasil chegou com o fraco título “O segredo de Emma Corrigan”. Talvez eu deva recomprar minha edição, esta que ilustra o post ;-)

Nenhum comentário:

Postar um comentário