sexta-feira, 10 de maio de 2013

garota exemplar

“Se este livro terminar do que jeito que estou imaginando, vou ficar extremamente decepcionada.” Foi o que eu disse quando estava mais ou menos na metade de ‘Garota Exemplar’, da jornalista norte-americana Gillian Flynn. Não que estivesse cansada da leitura, mas porque a estava adorando e não queria ser surpreendida de forma negativa.

O romance fala de casamento e o que de pior ele pode ocasionar. Mais que isso, aborda os perigos de nos ligarmos a pessoas que se consideram perfeitas e especiais. O relato é feito pelo próprio casal, individualmente. Nick conta seu ponto de vista como desabafo e Amy por meio de seu diário (deixo aqui um ponto de interrogação). Cheio de retrospectivas, tem a trama central ambientada quando estão prestes a completar cinco anos de união. Temos as verdades, mentiras e as falsas percepções de ambos sobre tudo.

O relacionamento começou numa festa no Brooklin. Amy já estava com mais de trinta anos e se sentindo a solteirona da turma. Nick apareceu como sendo a pessoa certa para ela passar o resto da vida. Seus pais são psicólogos que enriqueceram escrevendo “Amy Exemplar” (daí o título), série de livros infanto-juvenis inspirados na filha única. Além da homônima, ela tem que lidar com o matrimônio perfeito dos pais. Eles são inseparáveis, nunca discutiram e estão sempre felizes. Como ela própria diz, quem convive com família desunida tem seus problemas, mas quem está dentro do ambiente sem defeitos também tem questões a serem resolvidas.

Os pais de Nick são divorciados. A forma impositiva e arrogante com que seu pai tratava a mãe fez com que bloqueasse a expressão de seus sentimentos. Desenvolveu um sorriso que serve praticamente para todas as ocasiões, na expectativa que pudesse se passar sempre por simpático, sem se expor. Sua vida desmorona quando perde o emprego na revista em que trabalhava como jornalista cultural. Sente-se fracassado, sobretudo, por ter bem menos dinheiro que a esposa. A doença terminal da mãe é só o pretexto que precisava para sair da Nova-York-com-cara-de-Amy e retornar à cidade natal, no centro-oeste dos EUA. Tentativa de fugir do que queria ser e nunca foi. Com a irmã e o dinheiro da esposa, abre um bar. Na manhã do aniversário de casamento, Amy some. A polícia encontra sinais de briga forjada e Nick é suspeito.

O thriller já caminhava de forma eletrizante quando que gritei: “Reviravolta no livro.” Confesso que o drama adentrou no rumo que eu havia suposto. Mas felizmente isso não comprometeu seu suspense, mesmo com diálogos clichês. Enfim, ouvindo os dois protagonistas sentimos que tudo poderia ter sido diferente, e valido a pena, se. E somente se. Não vou contar mais. Até porque vocês têm que ler a história. Enquanto isso, cuidado com seu cônjuge, principalmente se a pessoa acredita conhecer muito bem você.



Frases

“Eu teria feito qualquer coisa para me sentir real novamente.”

“Estou cansada de não saber com quem estarei, ou se estarei com alguém.”

“Há uma diferença entre realmente amar alguém e amar a ideia dessa pessoa.”

“Na verdade, queria que ela lesse minha mente para eu não ter de me rebaixar à arte feminina da articulação.”

“Eu sou um grande fã da mentira por omissão.”

“Algumas vezes puni você por não ser capaz de ler minha mente, por não ser capaz de agir exatamente da forma como eu queria que agisse naquele exato momento.”

“Muitas pessoas carecem deste dom: saber quando se mandar.”

“Eu estava fingindo, como muitas vezes fazia, fingindo ter uma personalidade.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário