quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

patinhas

 
Patinhas unidas, juntinhas. Elas, desta forma, representavam o esforço para se livrar do engasgo. Assim estava meu cachorro e toda vez que olho para suas patinhas, volto àquele dia em que ele estava com elas apertadas, tossindo. Ofegante e sufocado, tentava se recuperar. Não pedia ajuda. Apenas foi para um canto da casa e as apertava cada vez mais enquanto tentava ‘desengasgar’, enquanto tentava sair daquele desconforto.

Mesmo agora, que 
só relembro aquele momento, sinto um aperto no peito. Pela angústia que passou.

A imagem ficou. A atitude de quem está em apuros, e que não espera ajuda. Sozinho e com suas forças. Dizem que os animais se afastam quando estão velhos e doentes.

Pela experiência, sei que é verdade. Eles se escondem.

Não preciso de nenhum estudo científico para acreditar que, mais que os seres humanos, eles sentem. Só que ao contrário de nós, que nunca estamos plenamente satisfeitos e que o mínimo de infortúnio é motivo para culparmos o outro. Eles, não. Apenas unem as patinhas. E esperam passar.

2 comentários: