segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

canção de natal

Roubei do Wikipedia:
capa da primeira edição
Charles Dickens sempre me remeteu ao Natal. Talvez seja efeito de uma de suas obras mais conhecidas, 'Canções de Natal', de 1843, que acabei de ler na sua versão original. Digo isso porque a história já teve várias adaptações: cinema, teatro, musical, animações, quadrinhos e versões resumidas, como a que eu havia lido nas aulas de inglês. Basicamente fala sobre o rabugento Ebenezer Scrooge, que odeia o Natal. Ele não sorri. Não emite nenhum sinal de cordialidade. Vive sozinho e rejeita qualquer tentativa de aproximação. E segue assim até a noite de Natal em que recebe a visita do fantasma de seu ex-sócio, morto há alguns anos, que anuncia outros três espíritos, representando o passado, o presente e o futuro. Com eles, Scrooge embarca para uma viagem pelo tempo e reflete sobre os motivos que o deixaram tão amargurado. Descobre, então, que tudo seria mais fácil e leve se voltasse a cultivar o sorriso no rosto. O livro foi um dos primeiros a retratar o Natal tal e qual o conhecemos: as mesas fartas, os gestos solidários, o lado emotivo mais aguçado e a esperança de que tudo será melhor. Excelente pedida para o fim de ano :-)

“É justo reconhecer que, por uma lei nobre do mundo, enquanto a tristeza e a doença são tão contagiosas, da mesma forma se mostram o riso e o bom humor.”

“Ele correu para a janela, abriu-a e colocou a cabeça para fora. Não havia neblina ou névoa, o dia estava claro, brilhante, exprimindo uma alegria jovial; fazia frio, muito frio, de congelar o sangue nas veias. O sol emitia sua lua amarelo-ouro e o céu estava celestial, o ar fresco percorria-lhe os pulmões.”

Adaptação para animação digital (2009)

4 comentários:

  1. Voce le com uma certa rapidez, ne?

    Quanto tempo voce levou para matar o Christmas Carol?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Umas duas horas. Se tivesse mais tempo, com certeza, leria ainda mais rápido. Aliás, este é meu sonho de consumo ;-)

      Excluir
  2. Se voce tivesse mais tempo, voce tambem escreveria livros?

    ResponderExcluir