domingo, 20 de setembro de 2015

jimmy´s hall (e o cavalo invisível que o acompanha)

Já faz algumas semanas que assisti a um filme bem bacana: “Jimmy´s Hall”, de Ken Loach. Conta a história real do irlandês James Gralton, revolucionário socialista que entra em conflito com a igreja católica por conta do estabelecimento que abre, um salão no qual as pessoas podem ler, cantar, dançar e discutir assuntos além dos que são permitidos pelo padre. Resultado: por duas vezes é expulso do país. Na primeira ainda é ‘perdoado’ e retorna, o que não acontece da segunda vez, quando é mandado definitivamente para os Estados Unidos. 

Enfim, o filme é bem produzido, bem interpretado. Eu consegui ter uma boa ideia da época em que é retratado, por volta de 1930. Vale sobretudo pela trilha sonora, que mescla canções tradicionais irlandesa com o jazz, que Jimmy trouxe de sua primeira viagem ao exterior.

Mas o que me motivou a escrever sobre o filme não foi nada disso. Foi o cavalo que aparece em praticamente todas as cenas. Para mim o paradoxo da liberdade que os personagens ativistas tanto pedem. Quem tem o direito de manter quem preso a rédeas, afinal? No filme e na época tratada, a igreja católica parece ter este direito ao limitar o acesso cultural da população local. Ao impedir que as pessoas possam ir e vir de acordo com seus desejos. Ao mesmo tempo, todos utilizam o animal para seus interesses pessoais. 

Jimmy retorna à sua casa depois de um longo tempo em uma carruagem. Quando chega, percebemos a dificuldade com que o amigo que o acompanha tem para descarregar sua bagagem. Eu mal consegui acompanha a passagem, pois estava a imaginar o esforço do cavalo ao subir as ladeiras irlandesas com a carroça, os dois homens e todos os seus pertences. Baseado em fatos reais, lembram?

Mais adiante, uma família é desabrigada. E todos se unem para fazer com que a propriedade seja devolvida. Para isso, mais uma vez está lá o cavalo com sua carroça repleta de móveis.

E assim em praticamente todos os momentos. Onde tem um homem reivindicando seus direitos ou chorando por suas perdas ou comemorando vitórias, o animal o acompanha. Invisível para todos,  já que em nenhum momento é mencionado, embora esteja sempre presente. Cabisbaixo, pois mesmo sendo tudo cenas, sabe que está preso. Pior, sabe que lá representa o que muitos ainda vivem. E sem nenhuma partido ao qual se afiliar ou recorrer. Políticas do homem.

Cenas iniciais com Jimmy retornando à Irlanda após dez anos nos Estados Unidos



O salão de Jimmy


A carga que carrega


Devolvendo à uma família sua casa


Cenas finais. Todos se despendido de Jimmy.


Há outros animais na filmagem. Abaixo, um burro de carga e bois.




















Todas as imagens foram extraídas do trailer oficial do filme.

Nenhum comentário:

Postar um comentário