quarta-feira, 27 de maio de 2015

a luz através da janela

Não tenho muito a dizer sobre “A luz através da janela”, de Lucinda Riley, além do que eu já disse sobre os demais livros da autora que eu li. O enredo é sempre o mesmo. Neste caso, Emilie é francesa, tem cerca de trinta anos e acabou de perder a mãe. Após o funeral, ela se vê diante do dilema de manter ou não o château da família na bela Provence, já que não aceita muito bem o fato de ser rica. Enquanto pensa no que vai fazer, conhece pessoas que a levam ao passado, especificamente durante a segunda guerra mundial.
Daí conhecemos seus antepassados, os conflitos entre franceses e alemães, histórias de amor sem final feliz, crianças adotadas e espiões disfarçados. Ela também arruma pretendentes e conhece o interior inglês. Já disse e repito: o que vale para mim quando leio esses livros é curtir o exato momento da leitura. Junto com os personagens eu tomo chá, vinho, sinto o vento no rosto e até me imagino nos lugares pelos quais os personagens transitam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário