domingo, 5 de agosto de 2012

e começa a 22ª bienal internacional do livro de são paulo

Tenho ótimas recordações da minha infância relacionadas à Bienal. Principalmente na época em que as livrarias não eram megastores e a Bienal do Livro era o único local, além das bibliotecas, no qual se podia tocar, ver e sentir os livros. Estavam todos lá à nossa disposição para uma breve leitura ou apenas para a efetiva contemplação.

Para mim, bienal era - e de certa forma ainda é - sinônimo de livro. “Vai começar a Bienal”, significa, “vai começar a grande exposição dos livros.”

Neste ponto, chamo a atenção para a exposição, de fato. Ontem (05) li a entrevista que o autor de livros infantis Ilan Brenman deu ao Estadão, e que reforça a importância do suporte dado ao texto. Lá ele comenta sobre o valor do projeto gráfico do livro, sobretudo para as crianças. São como obras de arte. E como portal de novidades, a Bienal explora isso muito bem. Traz livros que chamam a atenção para formatos inusitados, para as ilustrações, para cores e, consequente, para o conteúdo. Os estandes são verdadeiros convites à leitura. Mesmo com a proliferação dos e-books e o encantamento que a tecnologia traz, acredito que nada substitui a experiência sensorial que o livro pode proporcionar. Que tal explorar este momento?

Livros transformam o mundo, livros transformam pessoas” é o tema deste ano. São 480 expositores e a expectativa de 800 mil visitantes.

De 9 a 19 de Agosto de 2012
Pavilhão de Exposições do Anhembi
Av. Olavo Fontoura, 1.209 - Santana - São Paulo - SP
Das 10h às 22h. No dia 19 de agosto, das 10h às 20h, com entrada até as 18h

O evento também traz programação especial que mescla a literatura com diversão, negócios, gastronomia e cultura. Mais informações: www.bienaldolivrosp.com.br.


Foto tirada durante a Bienal de 2010. No painel, campanha da Imprensa Oficial

Nenhum comentário:

Postar um comentário