quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

feliz natal




Esta é a imagem perfeita de Natal para mim. Quando criança, eu ficava sempre entusiasmada com a data e com a montagem da árvore de Natal. Adulta, perdi um pouco esse prazer.

Mas em 2005 me animei e a Tuti resolveu colorir ainda mais a festa. Grande e desajeitada, derrubou a árvore. Resultado: os enfeites ficaram todos em cima dela.

A Tuti foi uma cachorrinha linda que ficou conosco por 15 anos. Durante seus primeiros anos, corria de um lado para outro do quintal, já na maturidade, e com vários quilos a mais, restringia-se a andar vagarosamente. Sempre atrás da minha mãe. Gostava, porém, de ficar deitada com a barriga para cima. E quando estava nessa posição, eu gostava de arrastá-la segurando-a pelas patas dianteiras. Se ela se incomodava? Acredito que até curtia a brincadeira. Teve sete filhotes, dos quais apenas o Oliver ficou com ela. Eram inseparáveis. Ela o lambia, o paparicava, dormiam um ao lado do outro. Ele sempre com a cabeça encostada no 'colo' dela. Era o verdadeiro filhinho da mamãe – e da Renata, minha irmã, que também o enchia de cuidados.

A alegria do Oliver era ser acariciado. Adorava quando passávamos a mão em seu “bumbum”. Era todo carinhoso e quando não tinha o nosso carinho, coçava-se na parede. Tanto que as paredes de casa eram todas manchadas. Rastros do Oliver. No momento em que parávamos de o afagar, virava-se e nos fitava fixamente: "por que parou?" Depois que sua mãe morreu, ele ainda esteve por aqui por mais dois anos. Sempre com aquela deliciosa "carinha de coitado". Foram 11 anos de muitos “Óliiiiii, vem”.  

Esta semana sonhei com eles. Todos nadando numa enorme piscina. Entusiasmados com a atividade física. E adivinhe quem vinha por último na corrida aquática? A Tuti e toda sua morosidade. Foi muito reconfortante rever essa apaixonante dupla, mesmo que só em sonho.

Eu sei. O Natal já passou. Mas não precisamos de datas festivas para recordar os simples momentos na companhia de amigos verdadeiros e especiais, não é mesmo?


Óliiiiiiiver, vem!!


5 comentários:

  1. Muito marcante o texto... bom relembrar a história desses cachorrinhos da família! Uma fotinho mais linda que a outra!

    ResponderExcluir
  2. Paula Sprocatti- sprocatti@gmail.com18 de fevereiro de 2012 11:38

    Muito bom ver que respeito e amor estão em alta!!!
    Nada mais justo que retribuir através de palavras esse amor, que mesmo distante, ainda traz muitas lembranças!!!
    Onde eles estão devem receber essas palavras como um carinho, entendidas como uma amor eterno, como o que eles sentiram e sentem por vocês, onde quer que estejam.
    Não sei como recebi este e-mail, mas sei que tudo tem um porquê... Obrigada e Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  3. LINDO tudo! O e-mail (Natal)....os comentários! Tudo muito delicado e de uma doce paixão pelos animais. Tenho um beagle, o Joe. Fofo...fofo...Ele é bicolor e de treze polegadas. É aquel menorzinho. Mas é muito sapeca como todo beagle, eu imagino.
    O Amor pelo animais nos torna pessoas mais doce e centradas!

    ResponderExcluir
  4. Muito obrigada! Fico feliz quando vejo mensagens que mostram o amor pelos animais. Todos eles também agradecem :-)

    ResponderExcluir
  5. Vc expressou uma ternura comovente !

    ResponderExcluir